Feeds:
Posts
Comentários

Archive for abril \04\UTC 2012

AIK x Mjällby

Fui revistado por uma mulher na entrada do estádio. Isso, por si só, daria uma crônica inteira, sobre a questão do gênero aqui na Suécia. Mas não é meu assunto favorito.

Poderia falar também sobre o quanto se bebe por aqui. Vi um rapaz vomitando, com algum desembaraço, na fila de entrada. Isso era domingo, por volta das 13 horas. Dentro do estádio, já esperando o jogo começar, escuto um barulho de uma coisa grande caindo atrás de mim. Olho e vejo um homem careca, com seus 56 anos e 120 quilos, estatelado nos bancos. Algumas pessoas o ajudaram. Levantou-se, meio sem graça, meio no mundo da lua, totalmente bêbado. Por pouco não me machuquei seriamente.

Vi também um jogador cair no aquecimento, pisou na bola.”Sim, amigos, os suecos são bons. Pena que a bola os atrapalhe”, repetiu-me Nelson Rodrigues. Mas outros mostravam habilidade além do comum. Um mais. “Deve ser o argentino”, pensei.

Início de jogo. Reinício de temporada para o AIK. Torcida sedenta por futebol e por vitória, cantava quase ininterruptamente. O sueco não é tão frio quanto parece.

Arrisco dizer que o time joga num 4-3-3. Dois pontas abertos e meia avançado. Sem o típico centroavante. Achei que este meia avançado, o camisa dez, fosse o argentino. Joga bem. Não tanto quanto Pelé, mas merece o número que veste. Pesquisei um pouco mais e descobri que ele é da Costa Rica. Já o ponta direita está bem distante do futebol apresentado por Garrincha. Um latifúndio tem, para ele, o tamanho de um guardanapo. Esse, que pensei ser o brasileiro é, na verdade, de Togo. O ponta esquerda fez investidas melhores que as de Zagallo. Camisa 9, tem personalidade, ganhou boa parte das investidas, além dos bons cruzamentos. Imaginei-o costa-marfinense, mas nasceu aqui mesmo, no bairro ao lado, Solna. É sueco. Outro sueco, o camisa 7 tem classe. Menos que Didi, porém tanto ou mais que boa parte dos meio-campistas do futebol brasileiro.

Resultado: 0 x 0. Não vi rede balançar e não consegui comprar o chorizo no intervalo. Dois motivos para acompanhar de perto o sueco AIK outra vez.

Mas antes tem jogo do Real.

Read Full Post »